quarta-feira, 16 de setembro de 2015

A CURA DA DESINTERIA



     Fácil: consulte o dicionário e escreva a forma correta: disenteria.                    Agora, se tiver preguiça, escreva como nossos patrícios da ocidental praia lusitânia: vá de "caganeira" mesmo que funciona.

PENSO (?)




     ... em lançar minha próxima obra literária em uma concorrida noite de autógrafos no lixão do DF. Já se considerem obrigados a comparecer os colegas escrevinhadores sem divulgação, distribuição, agentes literários etc. levem muitos volumes de suas obras (levarei das minhas, claro), pois os convidados de honra, serão, pela ordem, os urubus do cerrado, os abutres da Praça dos Poderes (são muito mais de três, idiotas!) e os catadores de papel. Estes levarão a nossa caca literária para algures. Ou, quem sabe, nenhures. Ou ainda...

BRAZIL?


     Nas últimas semanas tenho pensado muitas vezes no ex-presidente Charles De Gaulle, do alto de sua postura "imperial" dizendo em bom som: "o Brasil não é um país sério." Tantas décadas depois, isso não só é cada vez mais evidente como lembra outro dito francês: "plus ça change, plus la même chose". E não é que é isso mesmo?