terça-feira, 20 de setembro de 2016

estupidez ilimitada



      Desalento. desolação. angústia. É a resultante do que percebo ao ver o Brasil hoje. Como se ainda vivêssemos na Década de 60 ou até antes, quando a moda era o desenvolvimentismo a todo o preço, a exemplo do "New Deal" e da industrialização do bolchevismo. Como se o mundo ainda fosse aquele, com pouquíssimos seres humanos  (1/3 da população atual), total desconhecimento das consequências causadas no bioma por tal doutrina.
      Agora, chegando cada vez mais rápido perto da extinção (qual o "bicho" mais ameaçado de ser extinto? Adivinhem!), não há um só político que preste atenção nesse descalabro. Fenômeno mundial, afetando principalmente países como o nosso, onde convivemos com um Estado "forte" perante o povo, e um(a)  "mocinha(o) dadivosa(o)"  ajoelhado(a) perante os patrões. Daí esses recordes sucessivos de desastres ambientais cada vez maiores e mais espetaculosos. Rasgar a terra com ferrovias, socavá-la com o peso das águas represadas, arrasar Itálias e Noruegas de extensões florestais significa (ainda!) "progresso"
      Como dizia antigo professor em MG, "no inverno vocês verão" É isso. Só.

Nenhum comentário:

Postar um comentário