quinta-feira, 22 de setembro de 2016

S E X O

VALHO-ME da letra de antiga música do compositor Chico Buarque, "A Flor da Pele" , onde o desejo sexual  é descaradamente descrito e mostrado como realmente é: puro instinto animal, sem meias palavras, sejam de censura moral, religiosa, penal, ou quaisquer outras. Se isso acaba em Freud, é provável. Até hoje o mundo não assimilou bem o que Darwin escreveu, imagine se vão aceitar a teoria de um médico judeu, austríaco, meio esquisito, destoante dos seus colegas acadêmicos, e de teorias assustadoras (porque reais)?
      ISSO tudo foi para declarar apenas o seguinte: não há sentido em dizer que uma pessoa é hetéro (prefiro pronunciar dessa forma), homo, bi, adepto do bestialismo ou de todas as "filias" já catalogadas ou ainda em vias de serem: Em matéria de instinto reprodutor, desejo sexual, libido etc., o verbo a ser utilizado deve ser o "Estar" , jamais o "Ser".  Aposto com vocês como, no momento em que isso for entendido e, principalmente, aceito pelo ser humano, as coisas melhorarão muito, mas muito mesmo. Influindo (para melhor)  nas relações macho/fêmea, nas sociais, nas nacionais e até mesmo no impulso guerreiro do ser humano. 
      Esta atual "civilização" baseia-se claramente na repressão dos instintos "animais" nos humanos. Agora, quando ela está nos últimos suspiros, uma vez exauridos (quase) todos os recursos necessários a sua sobrevivência, ainda acredito ser possível que dos escassos sobreviventes nasça um novo tipo de vida, no qual, antes de tudo, eles se aceitem mutuamente como "estão" a cada instante, sem pensarem no improvável e inconcebível "são".  
    Quem viver, verá.  

Um comentário:

  1. P.S. = o termo "descaradamente" não possui sentido algum de menosprezo ou censura moral. Usei-o mais literalmente, querendo significar "sem enfeites" ou "sem maquiagem"

    ResponderExcluir